Primeira semana de férias: Miami + Cruzeiro

Hi guys,

Estou muito sumida eu sei, mas a vida aqui é muita correria e não sou das pessoas mais disciplinadas do mundo, nem das mais presentes em redes sociais. Mas gosto de compartilhar com vocês as coisas que podem ser úteis, por isso vim aqui hoje contar sobre minha primeira semana de férias.

Em Setembro/2015 fui para Miami, com duas das minhas melhores amigas do Brasil, que vieram me visitar. De lá fizemos um cruzeiro de 3 noites, pela Norwegian Cruise Line, e passamos mais 2 noites em Miami. Vou tentar dar o máximo de detalhes e preços que conseguir, lembrando que as despesas foram quase todas divididas em 3 pessoas. Logo se você for viajar sozinha (o) pode encontrar valores diferentes.

Cheguei em Miami na sexta por volta de 10 da manhã, e peguei um shuttle ($20) até o hostel, pois minhas amigas tinham chegado uma noite antes de mim. Assim que cheguei nós almoçamos no Subway e fomos direto para o porto. Pegamos um uber do hostel em Miami Beach e ficou $11.

 Compramos o Cruzeiro atravéz do site decolar.com, e lá dizia que deviámos fazer um check in online antes de ir para o porto, contudo não consegui fazer isso na noite anterior, e estávamos bastante preocupadas, pois descobrimos que devíamos ter impresso alguns documentos e tags para as malas. Confesso que não me preparei muito bem e nem li direito sobre o cruzeiro, sabe quando uma fica achando que a outra vai fazer? Pois é, ninguém fez. A gente estava bem achando que o embarque começava às 17h, mas na verdade esse é o horário em que o navio zarpa, e só chegamos mais cedo por causa do tal check in. Imagina? Logo, a primeira dica é, chegue cedo e já comece a aproveitar o navio.

Na verdade não ter feito o tal check in não fez diferença nenhuma. Assim que você chega um pessoal do navio vem pegar suas malas, que vão ser etiquetadas e deixadas na sua cabine. Mas para isso é preciso saber o número da sua cabine. Se já tivessemos feito o check in e colocado as tags, era só largar a mala nuns carrinhos. Demos uma gorjeta para o moço que  nos ajudou com as malas.

Vacilo número 2: eu não estava me tocando que ia fazer um cruzeiro que sai do país e só estava com meu DS2019 assinado nos conformes porque vou fazer outra viagem para europa. E só levei por segurança, nem tava lembrando que ia precisar dele. E sim gente, precisa. Após o check in no navio a gente passa pela imigração, igualzinho no aeroporto. Imagina de novo?

Após entrar no navio precisamos passar no balcão de check in para abrir uma conta para a cabine. Dentro do navio não se paga nada com dinheiro, e sim com o cartão, que também é a chave para entrar na cabine. O pagamento é feito preferencialmente com cartão de crédito, assim você vincula o cartão de crédito ao seu cartão do navio, e vai gastando felizinho. As outras opções são cartão de débito ou cash, contudo nesse caso é necessário um pré pagamento de no mínimo $150 por cabine (no nosso caso, $50 por pessoa). Eu não tenho cartão de crédito aqui, e as meninas não queriam passar no delas devido ao câmbio atual, por isso fizemos no cash.

Além das suas despesas dentro no navio, e dá pra gastar muito se você não for controlado, é cobrada uma taxa de serviços de $13,50 por dia, por pessoa. Essa taxa substitui as tips que você teria que dar aos funcionários do navio por cada serviço prestado. Eu pessoalmente acho que vale a pena, e acaba saindo mais barato do que dar tips individuais. Eu já ouvi falar nos grupos de Au Pair de meninas que reclamaram dessa taxa e não tiveram que pagar, mas eu não acho justo porque o serviço prestado é excelente e tip é parte da cultura e do salário dessas pessoas.

​Além disso nosso único outro gasto no navio foi um pacote de refrigerante infinito, pois refri não estava incluso. Custou $24,60 por pessoa para os 3 dias. Mas acho que não vale a pena não. Eu nem bebo tanto refri assim, você fica o dia todo fora do barco. Além disso, tem suco, café, chá e água nos restaurantes, ou seja, quem liga pra refri????

A cabine é pequena,mas bem confortável. Tinha duas camas + uma cama de montar, um closet com cabides e espelho, secador e cofre. Todos os dias te entregam uma programação com tudo que rola no navio naquele dia. Quase tudo está incluso no seu pacote, inclusive jantares nos restaurantes three-course meal, que são bem bacanas e com comida bem gostosa.

 Para o pessoal que gosta de beber, bebidas individuais custam o preço de balada, entre $7 e $9 a cerveja, por volta de $15 drinks. O pacote “álcool infinito” é $64 por pessoa, por dia. Eu achei pesado, pois nem bebo tanto assim. Muita gente tenta entrar com bebida escondida na mala. Eu nem tentei, logo não posso dizer se funciona ou não. Sinceramente não fez falta pra mim.

A comida está inclusa total, com exceção de 2 ou 3 restaurantes em que é preciso pagar um valor a mais para comer. Nem passei por esses, afinal, sou au pair kkk. Existe uma opção de refeição 24h por dia, e confesso que comer foi uma das coisas que mais fiz nessa viagem. Saudades café da manhã do navio.

 No primeiro dia atracamos em Nassau, nas Bahamas. O navio fica parado lá de 8h às 16h30. Você pode ou não sair do navio, mas eu nem vejo muito sentido em não sair. Não custa conhecer o lugar né? Assim que você sai está pracinha em que pode pegar taxis para ir a outras praias da região, ou pegar uma balsa até Paradise Island, onde há um grande resort e praias (tanto particulares quanto públicas). Aqui ocorreram os vacilos 3 e 4. O vacilo 3 foi rídiculo, ninguém levou protetor solar. Eu só podia levar mala de mão no meu voô interno, logo não dava pra levar. E achei que as meninas teriam, mas nem pensei em conferir. Elas podiam levar na mala, mas acharam que eu levaria. Ou seja, passamos a primeira do nosso dia nas Bahamas procurando um protetor solar, que ao acharmos foi caro e não da melhor qualidade possível. Parabéns para as três. O vacilo 4 foi de logística, e de planejamento again. Nenhuma das 3 pesquisou qual praia era legal na nossa parada, ou seja, não sabiamos para onde ir. Acabamos indo para a praia ao lado de onde o navio fica atracado. Que era bonitinha e não tão legal, e depois pegamos a balsa para Paradise Island. Lá andamos uns 10 minutos até a praia pública, que estava bem cheia e o mar era muito bravo (morro de medo de onda), então acho que não aproveitamos tão bem esse dia.

 No segundo dia o navio para e vamos de barquinho até uma ilha particular da cia. E esse foi um dos lugares mais lindo que visitei na vida. O mar é incrível, parece uma piscina (sem ondas, yes!!), a temperatura é perfeita. Pra quem gosta tem volei de praia, aluguel de bóias. Tem cadeiras de praia para todos, mas guarda sol tem alugar. E por ser da própria empresa eles mesmo servem o almoço. Muito bom. Ficamos no mar até o horário do último barquinho para voltar ao navio.

Na segunda, o navio atraca em Miami ás 8h. Ainda servem café da manhã nesse dia e você tem por volta das 10h para deixar o navio.

Outro uber até o hostel (+/- $11), conseguimos fazer o check in cedo, por volta de 11h e minha amiga queria ir até a Ross, que era “perto” do hostel (25 minutos andando, ou seja, perto de mineiro). Acabamos passando a tarde inteira por lá, voltamos a pé de novo e tava todo mundo morto pra ir pra praia. Ficamos curtindo a piscina do hostel e acabamos fazendo amizade com outros brasileiros que estavam hospedados por lá.

No dia seguinte já estava programada uma visita ao Sawgrass Mills, um outlet enorme que fica a cerca de 50 minutos de Miami. Acordamos cedo e fomos buscar o carro que havíamos reservado. Não alugamos gps, pois eu tinha google maps disponível. Minha amiga dirigiu, e o caminho teria sido bem tranquilo, se por um erro de navegação meu (que confesso, sou péssima pra ler mapa), não tivessemos entrado em uma pista expressa que nos fez andar cerca de meia hora na direção errada sem opção de retorno. Chegamos sãs e salvas de qualquer forma, apenas morrendo de fome.

Passamos o dia todo no Sawgrass, e realmente o lugar é enorme, tem tooooooooodas as lojas juntas num lugar. Mas sinceramente não achei os preços nada espetaculares, nos outlets de Orlando encontrei preços bem melhores. A única justificativa que vejo para uma visita ao Sawgrass é a praticidade de ter todas as lojas em um lugar só, evitando perder tanto tempo da sua viagem com compras. Eu mesma na verdade não comprei quase nada, apenas alguns presentes para minha família no Brasil.

 No dia seguinte, que já era meu último dia, finalmente fomos para a praia. Miami Beach é uma graça, o mar é uma delícia e o sol super quente. Mas de repente já era hora de voltar para NY. Felicidade de Au Pair dura pouco…. (Brincadeirinha, dura o suficiente e foi maravilhoso)

Meus gastos:

Cruzeiro: $268

Passagem NY – MIA: $196,20

The Tropics Hostel (2 noites): $55 (em quarto triplo dividido com as amigas)

Carro (1 diária): $50 (para três)

Gasolina carro: $9

Estacionamento overnight do carro: $7

Gastos com comida: entre $6 e $12 por refeição (vivi de fast food)

Qualquer dúvida podem entrar em contato comigo,

Beijos, Bru

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s